A solidariedade é fundamental nas ações de enfrentamento ao assédio moral, não apenas como forma de dar apoio às vítimas, mas, também, como mecanismo de combate. É falsa a noção de que ao se isentar de ser testemunha da vítima, por exemplo, a pessoa está livre de ser alvo de assédio. Trata-se de uma prática em um ambiente contaminado, atrelada ao modelo de gestão, e os registros mostram que os casos de assédio no ambiente de trabalho não são fatos isolados. Assédio moral foi pauta da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada na manhã de ontem, 27, e a decisão da Assembleia foi pela criação de uma campanha nas três unidades vinculadas à Seção Sindical Campinas e Jaguariúna (SSCJ) para tratar do assunto e uma manifestação de apoio à Comissão Permanente de Prevenção e Combate ao Assédio Moral (CPPCAM) da Embrapa.

Acesse aqui o Curupira Expresso Nº 77 na íntegra.